Taioba e outras aráceas – é bom aprender a reconhecer e como usar

 
taro
Gostou dessa foto acima? Vai dizer que é taioba-brava? Não, é folha de taro (Colocasia esculenta), um dos inhames que nós, brasileiros, conhecemos – dela se comem os tubérculos (que, na verdade, são cormos, partes engrossadas do talo) bem cozidos. Verdade que em alguns lugares também se comem folhas e talos, sempre bem cozidos mas, aqui na terra, não.
Há muita confusão para se reconhecer, pelos leigos da botânica, as folhagens da taioba, dos inhames diversos (cará, taro) e diferenciar essas plantas comestíveis e nutritivas de outras que, muito parecidas, são tóxicas para nós, humanos.

Taioba-mansa, taioba-brava e tinhorão – muito cuidado com a confusão:

TAIOBA-MANSA

A taioba-mansa que se encontra no Brasil é a espécie Xanthosoma taioba, prima-irmã da Xanthosoma sagittifolium (que ocorre em outros lugares do mundo) e é conhecida por diversos nomes regionais: macabo, mangarás, mangará-mirim, mangareto, mangarito, taioba, taiá ou yautia e até como orelha-de-elefante quando usada como ornamental.

As taiobas são plantas da família das Araceae, como a taioba-brava (Colocasia antiquorum Schott) e o tinhorão (Caladium bicolor Vent.), aliás de folhagem bem parecidas umas e outras e por isso é perigosa a confusão. Bom, mas a taioba-mansa de que falamos aqui é nativa da América Central, que é usada na alimentação humana e animal. Da taioba-mansa se comem os tubérculos (cormos) que são ricos em amido, as folhas e os talos. Seu uso é semelhante ao que se dá ao taro

Para tentar entender como se diferenciam as taiobas, dê uma lida aqui no Matos de Comer mas, te adianto que, se o talo for roxo, deixa quieto, é brava e tóxica.

Segundo informação cedida pelo botânico Eduardo G. Gonçalves, “toda taioba comestível, no Brasil, é só a espécie Xanthosoma taioba“.

TAIOBA-BRAVA

Da taioba-brava (Colocasia antiquorum) e do tinhorão (Caladium bicolor) não se come nada! São tóxicos demais e podem até matar.

Todas as três espécies são ricas em oxalato de cálcio (como as couves, o espinafre) porém, o conteúdo da taioba-mansa permite seu consumo cozida. E para pessoas sensíveis deve ser muito bem cozida mesmo.

Veja esse video para te ajudar a aprender a distinguir umas de outras.

Oxalato de cálcio

O oxalato de cálcio é perigoso quando em excesso (que é o caso da taioba-brava, do tinhorão e, em alguns casos, do inhame peludinho) mas, as ráfides de oxalato (que a gente sente como agulhinhas na mucosa bucal e na garganta) existem em todas essas plantas.

Para reduzir a quantidade de ráfides de oxalato das taiobas-mansas (folhas e tubérculos) e até dos taros e outras plantas (espinafre e folhas de beterraba também têm) é preciso, sempre, cozinhar bastante essas plantas e dispensar a água de cozimento.

Você saberá que uma planta tem oxalato de cálcio em demasia quando, ao provar um pedacinho da folha, sentir ardor na garganta, língua e boa toda. O oxalato de cálcio também produz diarréia, irritação do cólon, problemas renais (cálculos), intoxicação e pode até levar à morte pessoas mais sensíveis a ele.

Quem tem problemas renais deve evitar, pelo sim pelo não, qualquer planta rica em oxalato de cálcio (e há muitas dessas dentre os vegetais que costumamos comer, sabiam?).

Como se come taioba?

A taioba (da mansa, claro) já está até em pratos inventados pelos chefs modernos (leia aqui a matéria).

Na nossa cozinha regional popular as folhas de taioba-mansa são refogadas lentamente até que se desfaçam (o processo é rápido mas, só está completo quando a folha e talos estão macios como purê). Só nesse ponto, de purê, é que não há risco de você encontrar ráfides de oxalato nelas.

E você também pode conferir algumas receitas interessantes:

Suflê de taioba e queijo de cabra

Farofa de taioba com patinha de caranguejo no óleo de cocão e casca de limão

Gnocchi de batata e taioba com manteiga e nozes

Camarões grelhados com taioba

Torta de taioba com amêndoas

ALGUMAS REGRAS DE BOA SEGURANÇA QUANDO SE TRATA DE FOLHAS ASSIM

Se for roxa, não coma nem cozida. A cor roxa nessas plantas indica uma enorme quantidade de oxalato de cálcio, potencialmente tóxico para seres humanos e animais.

Disseram que era inhame e você não reconheceu a “batata”? Enfim, como expliquei acima, inhame é toda batata comestível, até a batata-doce é chamada assim. Tem confiança na cozinheira, coma sem susto, cozida.

Disseram para bater no leite, na água, no suco que é bom para a dengue? Sim, é bom mas pode não te fazer bem. Na dúvida nunca coma cru, cozinhe bastante, jogue fora a água.

Ah, e se você tiver problemas renais, não coma mesmo cozido – nem inhames, de qualquer tipo, nem folhagens ricas em oxalato. Esse alerta vale também para outras verduras – couves escuras, espinafre, beterraba, salsinha, quiabo – e até alguns alimentos – cacau, pimenta, nozes, amendoim torrado. E por aí, vai!

Nota: parte deste texto eu já havia publicado há uns meses atrás, no Greenme Brasil (leia aqui o artigo de então).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s